Chuvas para o mês de setembro devem ficar abaixo do normal

Publicado em: 30.08.2016

De acordo com especialista, o mês de setembro deve sofrer impacto devido às chuvas aquém do esperado

O professor doutor e especialista em clima Pedro Leite da Silva Dias, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP palestrou no início de agosto (dia 1) na Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé) sobre o fenômeno La Niña e o seu desmembramento no decorrer do ano, sobretudo no mês de setembro.

Conforme explicou o especialista, com o aparecimento do La Niña em maio, a temperatura do Oceano Pacífico na região do Equador e Peru ficou fria e abaixo do normal, o que pode gerar um mês de setembro impactado com períodos de chuvas abaixo do esperado para a época. “Analisando o último ciclo com um período chuvoso no final de maio/começo de junho podemos prever uma situação desfavorável para a formação de novas frentes frias no período de setembro”, explicou Dias. De acordo com o professor, se houver a presença de anomalias de temperatura quente no Oceano Atlântico Equatorial na faixa entre o continente Africano e a América do Sul, e anomalias de temperatura fria na costa da África que está para o Oceano Índico, é possível que o período de chuva nos continentes se atrase e não ocorra no mês de setembro.

Dias chamou a atenção ainda para o que intitula “início falso” do período de chuvas, que pode ocorrer no final de agosto e começo de setembro, assim como foi no ano passado, o que pode trazer “falsas esperanças”. “Os cafeicultores devem ficar em alerta e usar de outros meios para garantir a produção saudável da lavoura. Uma boa dica é usar massa seca perto dos pés de café, assim evitando a evapotranspiração que pode ocorrer em um processo mais acelerado devido às altas temperaturas depois desse pequeno período de chuva”, complementou.

FONTE: Revista Cafeicultura.


Voltar