A maturidade no plantio de café no Sul de Minas Gerais

Publicado em: 31.08.2016

Fazenda Santa Izabel, em Ouro Fino, evoluiu no decorrer dos anos e com a ajuda de tecnologia e especialistas, alcançou a maturidade na produção do grão

Localizada em Ouro Fino, no Sul de Minas Gerais, a Fazenda Santa Izabel já criou gado e cavalo, mas a vocação mesmo sempre foi o plantio de café. Quem diz isso é José Benedito Angelo, administrador e técnico agropecuário, diante dos 312 hectares da propriedade que passou por três fases distintas nos últimos 25 anos para, agora, atingir a maturidade. A produção de café sempre correu paralelamente à criação de gado de leite e corte. A estruturação do cafezal em busca da qualidade foi um desafio, de acordo com José: “As pessoas diziam que estávamos louco, que iríamos perder dinheiro, mas nós sempre acreditamos que estávamos revolucionando a agricultura da região”.

Em 2012, a Fal Coffee, empresa norte-americana, adquiriu a propriedade, como estratégia de melhoria nos processos de qualidade, com controle do campo à xícara. Através da Nobletree, torrefação baseada no bairro de Red Hook, no Brooklyn, os cafés produzidos no Brasil os grãos negociados em outras regiões produtoras mundo afora ganharam, além da maturidade necessária para expansão, o mercado americano. Desde então, com boas idéias, conhecimento e recursos para investimento, a Fazenda Santa Izabel ganhou um novo capítulo em sua história. A expansão do cafezal, atualmente com 550 mil plantas, seguiu por áreas de pasto e abrigou duas áreas de plantação orgânica, exigência do grupo Fal.

A maturidade, diga-se de passagem, vai além da lavoura e da colheita: o prédio administrativo da fazenda, recém-inaugurado, dispõe de modernos equipamentos para o preparo do café. A idéia é mostrar para os funcionários como o café que eles trabalham no campo se reflete na xícara. Além disso, o local conta com uma mesa de classificação, sala de degustação para negociadores e um espaço para reuniões, onde também acontecem cursos para compradores. O objetivo é mostrar quanto a fazenda influencia no café. A estrutura contempla, ainda, vestiários feminino e masculino para quem volta do trabalho na roça.

FONTE: Café Point.


Voltar